Programa de Educação Continuada

O Programa de Educação Continuada do Departamento do Rio de Janeiro do Instituto de Arquitetos do Brasil foi criado para compartilhar conhecimentos e perspectivas diversas sobre a cidade contemporânea, matéria prima essencial para  a construção de cidades mais inclusivas e acessíveis, socialmente mais justas e economicamente mais vibrantes e sustentáveis.

Nosso objetivo é compartilhar experiências de professores com atuação destacada em diversas áreas para oportunizar o necessário aprimoramento constante na formação profissional de arquitetos, urbanistas, paisagistas, designers, engenheiros, estudantes e interessados em arquitetura e urbanismo.

 

A cultura indígena e seus saberes arquitetônicos

(via Google Meet)

Cacique Tukano Doethyró e Igor de Vetyemy

Nascido e criado na aldeia de Pari Cachoeira no Alto Rio Negro, no Amazonas, o Cacique Tukano Doethyró luta há 40 anos pelos direitos dos povos indígenas. Atualmente é Presidente do CEDIND, o Conselho Estadual dos Direitos indígenas, vinculado ao Governo do Estado do Rio de Janeiro. Membro fundador da Associação Indígena Aldeia Maracanã, foi presidente da Associação por dois biênios e atualmente reside na Aldeia Vertical, trabalhando como arte-educador indígena. Igor de Vetyemy é Arquiteto e Urbanista, indigenista, professor e pesquisador. Atual presidente do IAB-RJ (Instituto de Arquitetos do Brasil no Rio de Janeiro), junto com o mandato coletivo Oxigena. Foi diretor da ABEA e do Instituto Niemeyer. Hoje leciona no Instituto Europeu de Design, UVA e UNESA.

Sobre o curso remoto

O curso online busca dar prosseguimento ao compromisso do IAB-RJ de colaborar para dar visibilidade a vozes indígenas que já construíram e seguem construindo muito por nossa cultura e por nossa sociedade. O objetivo é garantir o acesso de estudantes e profissionais da área à narrativa própria dos povos indígenas. Na impossibilidade de dar prosseguimento ao programa de imersão na aldeia Pataxó de Paraty durante os tempos de pandemia, nesta versão do curso, os saberes acumulados do Cacique Tukano Doethyró serão acompanhados pelos registros das técnicas construtivas indígenas que o Professor Igor de Vetyemy vem realizando em sua atuação no ensino, pesquisa e extensão no Estado do Rio de Janeiro.

Datas: 22 e 29/08 - 15hs às 17hs

igordevetyemy@gmail.com

parceria

Arquitetura, cidade, subalternidade, filosofia (via Google Meet)

Datas: 24 e 26/08 - 14hs às 16hs

daluzmoreira.pedro@gmail.com

Pedro da Luz

Graduado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestrado em Urbanismo pelo PROURB da Universidade Federal do Rio de Janeiro (1999) e doutorado pelo PROURB da Universidade Federal do Rio de Janeiro (2007). Sócio gerente – Archi 5 arquitetos associados ltda. Eleito vice presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil departamento Rio de Janeiro (IAB-RJ) no biênio 2010/11 e 2012/13. Em dezembro de 2010 assume a coordenação do Programa Morar Carioca, projeto que pretende urbanizar todas as favelas do Rio de Janeiro até 2020 pelo IAB-RJ. Em novembro de 2013 é eleito presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil departamento do Rio de Janeiro (triênio 2014/2016) e reeleito Presidente do IAB-RJ (triênio 2017/2019).

Sobre o curso remoto

A partir dos conceitos de plano e projeto, refletir sobre a inserção periférica e subalterna do país no cenário global, a partir do posicionamento de sua elite atrasada e retrógrada, incapaz de formular um programa autônomo e independente. Conceitos das ciências sociais como; ideologia, hegemonia, centro e periferia serão debatidos dentro do sistema mundo, pensando em contra-planos e projetos, a partir da demanda da autonomia, da maioridade e da cidadania. A proposta pensa as categorias de plano e projeto como eminentemente críticas, mas também operativas.

Universo projetual do paisagista (via Google Meet)

Eduardo Barra

Arquiteto paisagista (FAU-UFRJ, 1976), ex-presidente da Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas – ABAP, diretor do Studio Eduardo Barra, escritório de projetos paisagísticos que desenvolve projetos de escalas variadas.

Sobre o curso remoto

O curso pretende apresentar, a partir da experiência prática do professor, a ampla gama de escalas de projetos sob a responsabilidade do arquiteto paisagista, discutindo a gênese de cada trabalho, a evolução através de esboços, o projeto final, o transcurso da execução no campo e a obra pronta como resultado final.

Datas: 27 e 28/08 - 17hs às 19hs

ebarrastudio@gmail.com

Urbanismo decolonial: desafios do projeto urbano

(via Google Meet)

Datas: 31/08, 01 e 02/09 - 17hs às 18h30

tainakapaz@gmail.com

Tainá de Paula

Arquiteta e urbanista, ativista das lutas urbanas, é  atualmente presidenta de relações Institucionais do IAB-RJ e presta assistência para o movimento Bairro a Bairro, onde atua como arquiteta e como mobilizadora comunitária em áreas periféricas. É membro da Comissão de Gênero do CAU-RJ e atualmente é Coordenadora Regional do Projeto Brasil Cidades. É Conselheira do Centro de Defesa e Direitos Humanos Fundação Bento Rubião e da ONG Rede Nami. Representante do Brasil no Fórum Mundial 2030 do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento na Tunísia, realizado em abril de 2019.

Sobre o curso remoto

Os problemas atuais do urbanismo brasileiro podem ser relacionados pela dificuldade da construção de modelos e utopias de vanguarda que mirem os desafios afro-latinoamericanos, a ausência de marcadores de memória e de repertório próprios, que fuja do processo hegemonista do pensar urbano do século XX. Novas fontes teóricas, referenciadas na diáspora, no urbanismo africano podem acionar novas relações e novos caminhos urbanos na América Latina e no Brasil.

Projetos para espaços de atenção à saúde (via Google Meet)

Datas: 03, 04 e 05/09 - 16hs às 18hs.

ecosteira@uol.com.br

Elza Costeira, Fabio Bitencourt, Elisabeth Hirth.

Elza Costeira - DSc. (FAU/UFRJ). Coordenação e docência no INBEC. Membro da International Academy for Design and Health. Pesquisadora do grupo "Espaço Saúde" (FAU-UFRJ). Autora de publicações sobre Arquitetura de Saúde. Diretora de Desenvolvimento Científico da ABDEH-RJ. Fábio Bitencourt- DSc (FAU/UFRJ). Conselheiro IFHE. Membro do AIA-USA e da International Academy for Design and Health. Professor da Pós-graduação em Arquitetura de Ambientes de Saúde da UFRJ, da UFBA, UNESA e outros cursos. Autor e de livros sobre arquitetura hospitalar. Elisabeth Hirth- Arquiteta, Especialista no curso MBA em Gestão de Saúde (FGV), docente do INBEC e da PUC- RJ, em cursos de Especialização de Arquitetura de Ambientes de Saúde. Sócia titular da Hirth Arquitetura. Vice-presidente executiva (2011-2014) e futura presidente da ABDEH (2020-2022).

Sobre o curso remoto

Apresentação de requisitos projetuais para edifícios de atenção à saúde, apontando normativas, particularidades arquitetônicas, recomendações e melhores práticas, com vistas à certificação e avaliação de desempenho destes especiais ambientes e prédios. Curso em três aulas de 2 horas cada uma, totalizando 6 horas de aulas.

Cidade hostil (via Google Meet)

Datas: 08, 11 e 14/09 - 18h30 às 20h30

vitorhgmrs@gmail.com

João Victor Sanches, Thainá Guerra Lins, Vítor Henrique Guimarães

João Sanches é graduado e mestrando em Geografia pela UFRJ e integrante do GRUCE/UFRJ. Tem experiência em pesquisas sobre centralidades urbanas e atualmente pesquisa a criação de centralidades em torno de atividades de lazer de homossexuais masculinos a partir de parâmetros de gênero, cor e condição social. Thainá Lins é geógrafa, mestranda do Programa de Pós Graduação em Geografia (PPGG/UFRJ). Atua no Grupo de Estudos Espaço e População (GEPOP) e desenvolve pesquisas com ênfase em geografia da população, na relação entre mortalidade, raça e território. Vítor Guimarães é geógrafo pela UFRJ, mestrando em Cultura e Territorialidade pela UFF, possui experiência com pesquisas sobre economia política da urbanização, cultura urbana, comércio popular e ambulantagem.

Sobre o curso remoto

Pensar em cidades hostis requer uma análise que contemple as imbricações da produção capitalista do espaço, que prioriza o valor de troca em detrimento do valor de uso, normatizando dissidências e identidades não-hegemônica. A partir dessa lógica, constroem-se discursos e formas espaciais hostis que implicitamente reiteram a marginalização de certos grupos sociais da vivência urbana, principalmente das mulheres, da população negra e dos LGBTQIA+.

Assessoria técnica habitacional: desafios e oportunidades de atuação (via Google Meet)

Datas: 09, 10 e 16/09 - 19hs às 20h30.

anapaulaluz.arq@gmail.com

Ana Paula Luz

Formada em Arquitetura e Urbanismo pela UFJF, Mestra em Engenharia Urbana e Ambiental pela PUC-Rio, Especialista em Planejamento e Gestão Urbana pela FAU-USP em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano de São Paulo, Fundadora e Coordenadora da ATOS Colaborativos; Atualmente é Gerente de Departamento de Articulação e Integração das Políticas Setoriais na Subsecretaria de Planejamento do Território/SEPLAG na Prefeitura de Juiz de Fora.

Sobre o curso remoto

Política Habitacional no Brasil. Atuação em Assessoria Técnica. Meios de oportunizar a atuação prática (Primeiro, Segundo e Terceiro Setor). Entraves e Desafios. Metodologia Aplicada. Dinâmicas de Atuação.

Infraestruturas urbanas como espaços públicos

(via Google Meet)

Datas: 12, 19 e 26/09 - 10h30 às 12hs

miriam_lins@yahoo.com.br

Miriam Lins

Arquiteta Urbanista formada pela FAU/UFRJ em 2011, Mestra em Urbanismo pelo PROURB-UFRJ aprovada com Louvor em 2015. Atualmente é pesquisadora e professora de disciplinas relacionadas a Urbanismo e Projeto na UNISUAM. Já atuou como professora na FAU/UFRJ e na UNESA, possuindo ainda experiência em projetos e estudos urbanos.

Sobre o curso remoto

O curso objetiva debater as inserções das infraestruturas urbanas, explorando, em conjunto com as experiências plurais dos próprios estudantes, seus impactos e potencialidades. Os participantes são convidados a considerar exemplos existentes e, em um exercício rápido e provocativo, a elaborar uma intervenção. Em seguida, estes estudos serão apresentados com debates sobre suas ideias e reflexões sobre possíveis desdobramentos.

Como projetar edificações mais saudáveis e inteligentes?

(via Google Meet)

 Datas: 15 e 18/09 - 17hs às 19hs.

 Contato: lrc.professor@gmail.com

Lucas Rosse Caldas

Engenheiro Civil, Ambiental e Sanitarista. Possui mais de 50 artigos publicados em anais de eventos e periódicos científicos e experiência na área de Construção Sustentável. É professor na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), na Pós-Graduação Executiva em Meio Ambiente da COPPE/UFRJ e no IAB-RJ.

Sobre o curso remoto

O curso tem o objetivo de apresentar diferentes diretrizes, estratégias e tecnologias para projeto de edificações mais saudáveis, inteligentes e sustentáveis. Temas que serão abordados: Certificações Ambientais de Edificações. Estratégias de ventilação natural. Especificação de materiais visando a melhoria da Qualidade do Ar. Projetos biomiméticos e biofílicos. Uso de diferentes tecnologias da Indústria 4.0 (big data, inteligência artificial, internet das coisas, realidade aumentada, realidade virtual, etc) no processo de projeto e construção de edificações.  BIM, projeto paramétrico e impressão 3D. Estratégias para edificações Zero Energia (NZEB) e de baixo carbono. Exemplos de projetos reais.

Morfologia urbana: teoria e prática profissional em parcelamentos e projetos urbanísticos (via Google Meet)

Datas: 22 e 29/09 - 17hs às 19hs

mmmartins.rio@gmail.com

Márcio Martins

Mestre em Arquitetura e Urbanismo UFF/PPGAU (2018), atuou nas administrações municipais de Nilópolis, Rio das Ostras e atualmente é arquiteto e urbanista na Coordenadoria de Planejamento Territorial da Cidade do Rio de Janeiro. Tem experiência em gestão, planejamento e projetos urbanos, com ênfase em espaço público. Busca discutir e construir alternativas para investimentos, arranjos institucionais e desenvolvimento de projetos para espaços urbanos contemporâneos mais integrados e inclusivos.

Sobre o curso remoto

O curso busca contribuir para o papel de arquitetos e urbanistas na formação das cidades, debatendo sobre morfologia urbana e a prática de projeto. A proposta é apresentar referências bibliográficas e discutir exemplos de espaços semipúblicos, públicos, e sobre o processo de desenvolvimento e aprovação de projetos de parcelamentos e arquiteturas de grande porte frente às legislações, construindo subsídios teóricos e práticos para a atuação profissional.

Aplicando biofilia na prática arquitetônica (via Google Meet)

Datas: 23, 24 e 25/09 - 18hs às 19h30

om.arquitetos@hotmail.com

Marina Castanhera e Isaac Amir

Marina Castanheira, arquiteta e urbanista especialista em sustentabilidade, eficiência energética e interiores saudáveis, consultora PBE edifica da Procel, copresidente do IAB RJ / Isaac Amir, arquiteto e urbanista especialista em ecodesign e sustentabilidade

Sobre o curso remoto

nesse curso vamos mostrar as principais técnicas a serem levadas em conta em um projeto verdadeiramente sustentável, como aplicar isso no mercado e como desenvolver repertorio para conquistar mais clientes. no curso vamos abordar : eficiência da água, eficiência energética, materiais e resíduos, saúde interna, entorno, identidade e regionalidade.

A favela e a rua: conexões e direito à cidade (via Google Meet)

Datas: 30/09 e 07/10 - 17h30 às 19hs

gaqrocha@gmail.com

Gabrielle Rocha

Tem interesse e experiência em intervenções urbanas temporárias e performances, além de projetos participativos e fotografia urbana, tendo dirigido e produzido o média-metragem “Coautoria Urbana” e a minissérie “Dia a Dia”.

Sobre o curso remoto

O curso tem como objetivo promover um entendimento geral sobre como funciona a ocupação e o cotidiano nos espaços públicos das favelas, com foco no Rio de Janeiro. Assim, trabalharemos a valorização e o mergulho nas pré-existências e nas relações espaciais vinculadas ao social, para horizontalizar a visão urbanística sobre esses espaços, geralmente esquecidos e/ou tomados como inferiores. Conceitos como urbanismos de base e de topo, direito à cidade, dentre outros, conduzirão a teoria do curso e, como forma de explicação prática, será trabalhado o caso da favela Rio das Pedras buscando a compreensão sobre como é criado e organizado o uso do espaço público em seu território, a partir dos próprios moradores.

Outros corpos, outras cidades - módulo corpo habitado

(via Google Meet)

Datas: 05, 06, 08 e 09/10 - 16hs às 17h15

coletivoemsilencio@gmail.com

Chris Duarte, Lorena Portela, Patricia Oliveira, Addely Constantini, Paula Maracaja

Chris Duarte é Arquiteta e Urbanista pela FAU/UFRJ, Especialista em Planejamento Urbano/UFRJ e Mestre em Tecnologia para o Desenvolvimento Social/UFRJ atua no tema da ocupação, uso do solo e política urbana. Lorena Portela é engenheira ambiental e atua com educação, agroecologia e saneamento ecológico, Doutoranda (ENSP)/Fiocruz. Adelly Constantini é acrobata, criadora, diretora, professora e produtora, trabalha a expressão a partir da singularidade dos corpos, suas histórias e arquiteturas. Patrícia Oliveira é arquiteta e urbanista, graduada pela UNISUAM, tem como meta  executar o projeto arquitetônico com 20m²,  intitulado Casa da Lala, que consiste em uma edificação de uso misto com a finalidade de ativar autonomias. Paula Maracajá é professora UniverCidade/RJ especialista Arte e Filosofia PUC/RJ e artista multidisciplinar, curadora e co-fundadora do Coletivo em Silêncio, pesquisadora do LDCT/UFRJ dedicada às táticas, práticas em plataformas e à emergência de movimentos contra o encarceramento e pessoas em situação de segregação social.

Sobre o curso remoto

O projeto suscita uma pesquisa de linguagens para a construção objetiva de um conceito que nomeamos NINHOS e habitações de moradia de interesse social, junto às mulheres e ao território de Manguinhos e às ações culturais e memórias locais. O objetivo da proposta é a abertura de laboratórios de criação compostos de ciclos de oficinas colaborativas pela pauta de moradia de interesse social e infra-estruturas de cuidado e alimentos, produzindo assim cotidianos de trabalho, valor, renda, material de ação e pesquisa, rituais entre indivíduos e coletivos. O curso é um convite ao exercício de nosso direito à memória e ao sonho sobre nossos bairros e comunidades.

Diagnósticos Participativos: táticas de aproximação socioespacial ao território (via Google Meet)

Datas: 14 e 21/10 - 18hs às 19h30

ximenacabellomoreno@gmail.com

Ximena Cabello

Arquiteta (U. de Chile) e Mestra em Urbanismo (PROURB/UFRJ). Especialista no desenvolvimento de pesquisas e projetos com metodologias participativas e trabalho colaborativo com moradores de bairros e comunidades. Dirigiu a equipe urbana do Programa de Melhoramento dos Bairros "Quiero mi Barrio" no Ministério da Cidade do Chile, e atualmente é Diretora de Arquitetura na Fundação “Junto al Barrio”, no Chile.

Sobre o curso remoto

A essência da cidade são seus habitantes, portanto, para que esta tenha identidade e seja equitativa, deve ser compreendida e decidida em conjunto com seus moradores. O curso tem como objetivo conhecer e aplicar metodologias de analise social e colaborativo, que permitam a abordagem e conhecimento do território de forma crítica, para a definição de estratégias urbanas, arquitetônicas ou sociais de forma integral, democrática e participativa.

Todos alunos e alunas receberão, ao final do curso remoto, um certificado digital emitido pelo Instituto de Arquitetos do Brasil, departamento Rio de Janeiro, com selo da UIA2021Rio

 
  • Através da plataforma PagSeguro, parcelando em até 18X 
    (Receberá um e-mail confirmação através do iab.compartilha@iabrj.org.br com a solicitação de pagamento do PagSeguro)

  • Depósito ou transferência bancária:

Banco Santander

Ag. 3063

Conta: 13.000652-7

Departamento do RJ do Instituto de Arquitetos do Brasil

CNPJ: 33.818.600/0001-10

 
 
 

Entre em contato

Formas de pagamento

Parceria institucional

+55 021 2225 6405

©2018  Programa de Educação Continuada do IAB-RJ - IAB Compartilha